Amor em mim

O amor é nau à deriva

A me afastar do que é real

Sem rumo e percepção

Amotinou a tal razão

Desmentiu o bem e o mal

O amor acusou-me de hipócrita

Açoitou-me com seu cajado

Impôs-me castigos medonhos

Obrigou-me a acessar sonhos

Que a lucidez havia arquivado

O amor apagou minhas cores

Que herdei de uma história

Recoloriu meu coração

Com tintas de vulcão

E esculpiu em minha memória

E eu que era “outra”, e agora sou “eu”

Reino absoluta no trono do meu novo ser

Não imponho a “paz”

Não suprimo a “guerra”

Movimento-me com meu aval, com meu parecer.

 



Sobre a autora Rosinha Pacheco

Rosinha Pacheco escreveu 1 post neste site.

Sou Rosinha Pacheco, pedagoga, funcionária pública pela prefeitura de Aparecida de Goiânia, escrevo poesias e contos desde os 12 anos de idade. O meu gosto por escrever se desenvolveu devido ao hábito e prazer que tenho pela leitura. Tenho publicado um pouquinho do muito que tenho, em redes sociais.

Comentários no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *